quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

O Retorno da Ermelinda

[atenção: foto meramente ilustrativa]


Estamos de volta ao Aeroporto do Fim do Mundo. Por aqui circulam juízes, médicos, padres, advogados. Também pedreiros, carpinteiros, artesãos, todos desistidos do sonho americano. Casais que não falam a mesma língua. Crianças de olhos fartos de parques temáticos e passeios colossais. Todos imbuídos do sonho da fartura, da abundância, que a experiência internacional propicia. E nós, pobres fiscais mortais, sempre à sua espera e com a missão espinhosa de cumprir a lei, a despeito de todas as esperanças frustadas que isso venha a causar em todas aquelas almas.

Súbito, vem a interromper esses pensamentos uma certa Ermelinda. Homônima, talvez, de uma personagem antes citada por aqui, e com quem certamente guarda características em comum. Seu alvo: Nosso prezado e competente operador de raios X, o Pedro.

Pedro parece um anjo de terno e gravata. Simpático, correto, tem um ar sereno e um semblante sério. Não que não se relacione bem, ou não ria das nossas piadas - Apenas é alguem centrado no seu papel. E isso é muito importante para o nosso trabalho. Mas agora, Pedro é mais uma vítima de Ermelinda.

Ermelinda é uma típica perua. Calça larga, esvoaçante, colorida. Cabeça coberta pelo par de óculos escuros, pescoço envolto por um xale. Uma echarpe de seda esconde-lhe parcialmente as curvas, rechonchudas mas rasas, como aquelas que exibe uma montanha rebaixada pela ação da erosão.

- Oiii, Pedro!

Estranho a expressão de familiaridade com que Ermelinda o aborda.

- Você a conhece? - Pergunto. Ele sacode um "não" com a cabeça. Pedro é de absoluta confiança. Com gestos, deu a entender que se tratava de uma "voadora frequente".

"Aí vem problema." - Pensei tão alto, que deu para ouvir até da pista de pouso.

Pois dito e feito. A Ermelinda começa a esbravejar. Ela trazia, pra variar, computadores portáteis. Vários. Caríssimos.

- Está vendo como é o Pedro, o funcionário de vocês? Ele deixou passar duas malas, dos outros passageiros, cheias de laptops, e só barrou a minha! O Pedro implica comigo!

Só para esclarecer: o operador de raio X não barra ninguém, apenas alerta ao fiscal da presença de objetos de valor nas malas, sendo o fiscal responsável por interpelar o passageiro. Mas no calor do andar da esteira, o passageiro acaba tendo essa impressão. Pois isso foi um prato cheio para a Ermelinda.

- Vejam, olhem, Esse Pedro me discrimina! Favoreceu a outras pessoas! Somente a minha mala ficou! Isso é uma injustiça!

Expliquei à passageira que, mesmo se outras malas houvessem passado com os equipamentos, poderia haver um motivo, como os equipamentos serem de procedência nacional, ou já estarem regularizados junto ao Fisco. Mas nada convencia a Ermelinda.

- Tem duas pessoas lá fora que, se vocês prometerem que não vão fiscalizá-las, eu mostro! Eles vieram com equipamentos novinhos, importados, sem nota!

- Senhora, se alguém entrar aqui, vamos fiscalizar sim.

Fechou o tempo. A mulher ameaçou chamar a polícia, os bombeiros, o Ibama, sei lá quem. Comecei a refletir se a fiscalização por amostragem, que é o que fazemos, é algo realmente justo, uma vez que não barra todos, apenas quem a setinha seleciona. Depois lembrei que não era o caso. Mas não havia tempo para filosofar. Fomos olhar o banco de imagens do raio X.

Nada. Nem um radinho de pilha. Mas a mulher continuava esbravejando.

- Vocês vão ver! Isso é uma injustiça. Eu juro que eles passaram por aqui, abarrotados de coisas!

- Senhora, não passou nada.

- Como assim, você está dizendo que eu estou mentindo?

- Isso mesmo. - Fui o mais seco e direto que podia ser. - A senhora está, sim, mentindo. Muita gente mente por aqui, senhora. Para gente assim, temos uma multa por falsa declaração, e poderíamos cobrá-la da senhora. Mas não vamos fazer isso. Apenas gostaria de pedir para a senhora permanecer calada e pagar o imposto.

Mas a mulher não calou. Falou, falou, falou. Quando vi que estava quase perdendo a calma, saí do recinto, à guisa de buscar um DARF na impressora. Foi quando a mulher soltou esta pérola para Haroldo, o outro fiscal:

- Sabe, Sr. Fiscal? Eu tenho um apartamento fantástico no São Gotardo, na zona sul de Fim do Mundo. Enorme, com cobertura. E meu marido está viajando. Quem sabe você não iria lá, me fiscalizar?

O fiscal fez de conta que não era com ele. Pedro caiu na risada. Chego de volta com o DARF e o entrego à mulher. Parecia que eu estava entregando uma cebola verde, descascada. A mulher se desfez em lágrimas. Mas pagou.

Outro dia, outro vôo, Pedro está novamente na operação. E olhem quem vem chegando novamente: Ermelinda. Lá está na fila da seta. E, como não poderia deixar de ser, acena com um ar cínico:

- Oiii, Pedro!

Ah, se eu estivesse nesse plantão. Mas estavam outros fiscais, que não conheciam Ermelinda. Chega o momento crucial, da pré-seleção. Mas desta vez, deu seta verde para a mocréia.

- Tchau, Pedro! - Acena novamente a mulher, desta vez com um sorriso.

Sorria, Ermelinda. Um dia você vai descobrir que o crime não compensa. Nem a mentira, tampouco a muamba.

23 comentários :

Lygia disse...

Nossa!!!!
Essa poderia se chamar "Ermelinda A Louca". rsrsrsrsr
O que posso dizer???? Fantástico!
Parabéns mais uma vez querido, realmente fantástico!
Deus e os anjinhos mantenham sempre essa sua mente iluminada.

Beijos

Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...

Lygia,

Obrigado pelo comentário e incentivo.

Beijos meu anjo querido
Joeldo


Mari,

Gostei da comparação. Essa Ermelinda aí é das leves, poderia ser comparada a uma gripe chata, mas que passa. Afinal, só implica com fiscais e operadores de raio X.
Há raças bem piores, como bem sabemos.
Obrigado pelo comentário!
Beijão
Joeldo

Fabi disse...

Essas Ermelindas estão cada vez mais cômicas... e vc cada vez escrevendo melhor...rs

Ri muito e fiquei com vontade de conhecer essa legião de funcionários da Alfândega do fim do mundo, todos calmos e centrados, mas que penariam na mão das Ermelindas se não fosse vc...kkkk

Vc já inventou o termo para esses seres despresíveis, mas serei eu que inventarei a roupa desse super-herói da Alfândega do Fim do Mundo...rs

Beijos

(L)

Fabi

joeldo disse...

Fabi,

Quem dera fosse eu o responsável por poupar meus amigos heróis das ermelindices das passageiras e passageiros por aí...

Mas um pouquinho disso eu sei que faço, sim.

Depois vou encomendar a você a capa de super herói... Obrigado pelo comentário e por estar aqui.

Beijos mil
(L)

Joeldo

Márcia Moraes disse...

Essas Ermelindas fazem de tudo para conseguirem facilidades alfândegarias...kkkk
Ainda bem que não foi para você o convite para conhecer o apartamento, senão eu teria que, além de dar plantão no aeroporto, ter que eliminar uma Emerlinda por hora..kkkk

Texto Maravilhoso como Tudo q vc faz...

Te amo!

Bjus

Laura disse...

É amigo, vc caiu no lugar certo. Com este imenso dom para escrever bem e trabalhando nessa alfândega, onde cada dia acontece uma coisa diferente, é surpreendente ver como vc descreve cada detalhe e com tanto talento. Sou mulher também, mas tenho certeza que a maioria dos transtornos que acontecem são causados por alguma Ermelinda encrenqueira. Pela minha experiência ao longo da vida, pude notar, com toda a certeza, que os homens são muito mais fáceis de lidar... rssss
Beijo

aminhadocepink disse...

Que loucura! Sei muito bem como são essas Ermelindas! Enquanto lia, visualizava a tal, além da calça larga, pés acomodados num tamanco salto 18 e de madeira, nas unhas aquele esmalte vermelho hematoma...kkkkk e nas bordas das unhas, aquela poeira acumulada da viagem e do vai e vem de sacolas.
Já vi muitas no consultório, depois de uma anamnese minuciosa, juram que tomam todo cuidado com os pés...hahaha! E eu, Zen como o Homero, acredito e ainda dou como prêmio, uma boa hidratação.
Demorou a escrever, heim?
Bom final de semana.

obs. Adorei a foto nova, é esse biquinho Holanda que eu gosto...rsrs

Angelica Amorim disse...

Elas estão sempre alí...,querendo luz!
Ermelinda "Alfândega" adora Fiscais
Ermelinda "Museu" adora Exposições
Ermelinda "Atleta" adora Pódios...
Só não consigo entender,porque com tanta aeróbica,estão acima do peso!
É, papi... Isso é Carma...
Comentários sobre você,é dispensável.
Beijãooooooooooooo!
Gékila

joeldo disse...

Márcia querida,

Ainda bem que posso contar com você para neutralizar essas infelizes. Já aviso que, se vier para o plantão, vai ficar sobrecarregada de tanto trabalho... Haja mocréia !
Beijos, obrigado pelo carinho, por tudo.
Joeldo



Laura,

Obrigado por sua volta como comentarista de Alfândega.
De fato, as mulheres são difíceis de lidar, mas por lá aparecem homens tambem nada fáceis...
É a complexidade do ser humano, face a uniformidade e simplicidade das leis.
Um beijo, obrigado também pelos elogios, especiais quando vindos de você.
Joeldo


Lisete,

Todo ambiente de trabalho, em especial aqueles em que lidamos com o público, têm um pouquinho de Alfândega.
Isso é para refletirmos sobre nossa própria maneira de agir frente às mais variadas atitudes que as pessoas tomam. De um educado e polido lorde inglês, a uma cínica Ermelinda, precisamos estar preparados e sempre atender bem.
Obrigado pelo comentário e por sempre estar aqui.

Beijos de bico
Joeldo



Gékila,

Fico imaginando a Ermelinda numa pinacoteca, ela é capaz de querer retocar os quadros...
Haja paciência.
Mas estamos aqui para isso.
Beijinhos e obrigado pelo comentário, você é sempre mil
Joeldo

aminhadocepink disse...

Amigo, beijo de bico foi a mais pura maldade virtual do final de semana...rs
Mas aceito mesmo assim o galanteio do lorde inglês.
Então, para retribuir com o mesmo carinho de sempre, um pouco de Mario Lago, outro poeta brasileiro.

"Devolve toda a tranqüilidade
Toda a felicidade
Que eu te dei e que perdi
Devolve todos os sonhos loucos
Que eu construí aos poucos
E te ofereci
Devolve, eu peço, por favor
Aquele imenso amor
Que nos teus braços esqueci
Devolve, que eu te devolvo ainda
Esta saudade infinda
Que eu tenho de ti."

Continue revolucionando meus pensamentos com todas as maravilhas que escreve. Esteja sempre por perto.

Boa semana, hum hum?

Maria Helena disse...

Amigo,
Ainda estamos aqui,primeiro mundo?lêdo engano(risos)
gosto, quando escreve sobre esse tão oportuno tema.A Gékila, esqueceu,Ermelinda "advogada" adora uma causa...Eu? tô lá firme e forte,matando insetos,e a tapas (risos) Ermelinda, que se preze, não desistem antes do Pódio.
Estavamos,sentindo sua falta.
O Sol, continua maravilhoso?
Até breve,beijos!
M.Helena

aminhadocepink disse...

BOMBA, BOMBA!!!!

Notícia publicada no UOL:

"Gavião de penacho é uma das aves utilizadas na "vigilância" do Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha, em Belo Horizonte"

Primeiro - é aí que fica a alfândega?

Segundo - Ermelindas e loucas podriam ser alvo do Gavião? Coitadas!

Terceiro - Ou para elas só os GAVIÕES AFRODESCENDENTES DA FIEL?...kkkkkk

Quarto. - isto foi só para fazer os alfandegários sorrirem um pouco.

Angelica Amorim disse...

Ah...
Docepink,te acho tão simpatica!
piada da minha Fiel com Ermelindas e Loucas,
NÃO PODE!...rsrs
e AFRODESCENDENTES...tb NÃO PODE!P
BEIJINHOS,DOCEPINK !

PAPITO,VC tb é 1000 !
Ps.ainda está de pé rsrs
bjs
Gékila

joeldo disse...

Lisete,

Obrigado por essa pérola do saudoso poeta e ator.

Mas vamos nos lembrar sempre que dividir o mundo entre afrodescendentes e caucasianos, ou coisa que o valha, não passa de retórica atrasada.


Lembrando que a Alfândega do Fim do Mundo não fica em lugar nenhum, nem na Pampulha, muito menos em Confins. Isso porque a única realidade que nos interessa é a da nossa reflexão, e a única divisão que tem graça é entre São Paulinos e Corinthianos, ou entre Cruzeirenses e os fanáticos pelo Galo.

O resto, como você disse, é gavião de penacho ou outras aves de rapina.

Beijo grande.
Joeldo


Gékila,

pode ficar tranquila, as raças afro e fiel-descendentes, assim como todas as outras, serão devidamente respeitadas aqui na Alfândega.
Mas o que ainda está de pé? Não vai dizer que o Michel já tomou toda a breja que estava reservada pra nós, né??

Beijo grande
Joeldo

aminhadocepink disse...

Angélica, obrigada pelo elogio!

Mas não fique brava, não foi piada o que fiz com a NOSSA FIEL e muito menos usei o termo AFRODESCENDENTES pejorativamente.
Sabe por quê? NÃO, então vou dizer:
Aqui (em casa e somos ao todo, 20) tem um bando de louco, louco por ti CORINTHIANS!!!! Não para não para não paraaaa!
Quanto à miscigenação, na minha família tem aos montes, assim como de médicos e loucos.... nem que seja por ti, Corinthians.
Apenas passei para o comentário a imagem que minha mente produziu.

Beijinhos doces e pink.
Olha que quem me deu esse apelido foi um cara que entendia de genética e corinthianas.

JOELDO

Pois é meu poeta, o saudoso definiu bem a minha saudade.
Como pode ver, expliquei à Angélica que não houve a intenção de ser pejorativa e muito menos retrógrada., longe de mim!
PEÇO DESCULPAS A TODOS QUE ASSIM INTERPRETARAM
Sei muito bem onde fica a Alfândega e o quanto ela me faz refletir, foi apenas um pretexto para saber onde você encontra tanta inspiração. Mas deixemos isso para lá..
Torcidas são torcidas, prefiro não comentar nada, só que também gosto da cor azul!
Eu não disse nada, apenas comentei sobre uma notícia.
Beijo

joeldo disse...

Lisete,

Obrigado por explicar... Ma naioria das vezes, a letra fria da web não deixa passar a emoção de uma frase, o sentimento embutido no efeito das palavras.

Eu tinha certeza que não era nada de pejorativo, assim como você agora sabe bem, que quando digo que Mário Lago é "do mal", na verdade estou exaltando a máxima virtude do poeta.

Gosto da Alfândega assim, transparente, em que todos explicam, entendem, somos felizes assim. Aqui convivem são paulinos, corinthianos, palmeirenses, e também os fãs do meu Cruzeiro.

Beijão
Joeldo

Angelica Amorim disse...

docepink...
Não fiquei brava, e entendi,logo percebi,vc é do bem.
Tenha uma semana iluminada!
beijos, pink!

Gékila

Felino da Madrugada disse...

Oi papito,tá lindo! de membro da ABL.Ermelindas!já ouvi,diversas vzs,dá tese!
Brilhante texto,vc é indispensável,mas é dispensável falar sobre vc.

aminhadocepink disse...

Uffaaa...que bom Joeldo!
Essas letras frias da web já me fizeram penar bastante, às vezes por atropelar pensamentos e outras...bom, deixa para lá.
Mas foi com palavras que conquistei alguém que hoje é meu anjo da guarda, não posso reclamar muito da tecnologia.
Beijos

Angelica, pergunte ao Joeldo, mas estou começando a entender que "sou do mal". Mas se encontrar um dia, um enorme coração PINK na rua, pode dizer "oi, tudo bem?" que certamente vou lhe responder! kkkk
Uma semana abençoada.
Lisete

FILHOS DA PUC disse...

Ops,voltando de férias,e encontrando a 'doida'Ermelinda!
Parabéns! mais um texto que vale a pena ser lido,sabia,que conheci no Japão Ermlindas, querendo ser minha mãe?Pasme,com a minha idade (21), haja...rsrsrs
bjs
Vera Lúcia Iboshi

Katia Cristina disse...

Olá,
Depois de tantos comentários fica até difícil dizer algo que não se torne repetitivo, portanto mudarei de linha.
Obrigada, por a cada texto me fazer parar e refletir minhas falas e ações com as outras pessoas, sejam elas em cada parte que compõe a minha vida, pois tento retirar de seus textos, com até mesmo um certo egoísmo, lições que me façam uma pessoa melhor a cada dia.
Obrigada por me deixar crescer um pouco mais e fazer parte desse seu cantinho.
Beijos com carinho.

Katia Cristina

joeldo disse...

Michel,
indispensável mesmo é todo esse incentivo, que seus comentários me trazem!
Abraços filhão
Joeldo

Lisete,
Você com toda a sua capacidade de amar e se doar, é do mal sim, no mesmo sentido em que falamos que alguém é um monstro sagrado, ou seja um mal que significa muito mais que bom.
Beijo grande
Joeldo


Vera,
Essa da Ermelinda-mãe é novidade, gostaria muito de saber. Quem sabe você me manda um email me dando mais detalhes, e relato aqui na Alfândega. Esse assunto ermelindístico me interessa e breve estarei publicando as mais recentes pesquisas a respeito.
Beijos
Joeldo

Kátia,
Fico sobremaneira feliz em saber que tem podido tirar de meus textos lições para você. Isso não tem nada a ver com egoísmo, trata-se sim de sua própria inteligência emocional, utilizando as suas interpretações a seu favor, na sua vida prática.
Obrigado por estar sempre presente, você é muito importante aqui.
beijos
Joeldo