sábado, 24 de janeiro de 2009

Armados Até os Dentes

.
[foto: um sorriso, caso você não saiba do que se trata, ou não se lembre.]



Nosso plantão é de vinte e quatro por setenta e duas horas. Isto significa que após vinte e quatro incessantes horas de trabalho, a folga se estende por três dias. Para alguns fiscais, como Marcos, esse é o único lado bom de se trabalhar no plantão. O estresse que sofremos dos passageiros tiraria, segundo ele, a graça de trabalhar com a fiscalização aduaneira. Também tenho sofrido muito com esse problema e, até então, não havia conseguido uma fórmula segura para mitigá-lo.


Início de plantão. Deparo-me com os fiscais Magalhães e Maria Elena. O estado de animação de Magalhães, frente ao ar cansado de Maria Elena, não me deixavam dúvidas sobre quem estava assumindo o plantão, e quem o estava deixando, já tendo cumprido as vinte e quatro horas de batente. Perguntei a uma circunspecta Maria Elena como tinha transcorrido o trabalho. Ela disse que tudo bem, que não havia sofrido muita amolação por parte dos passageiros, que havia dado sorte, portanto.


O sábio e sorridente Magalhães, porém, intervém.


- Isso não tem nada a ver com sorte. O clima, se de bom humor ou de estresse, no atendimento, vai de nós, fiscais, e não dos passageiros. Eles apenas refletem o que emitimos para eles.


Deu um estalo. Puxa, é isso. Mas como seria? Então passei a questionar Magalhães, fiscal com quem ia trabalhar as próximas vinte e quatro horas. Ele, ainda sábia e sorridentemente, prosseguia.


- Pense bem. O passageiro está ali. Enfrentou dez, doze, quinze horas de vôo sem conseguir esticar as pernas. Está sonolento e todavia o dia não se desfez em noite, para dar-lhe o merecido descanso, por culpa do fuso horário. Chegando aqui, enfrentou a má educação de outros profissionais que o atenderam. Extraviaram-lhe a bagagem, os familiares que vinham buscá-lo não vieram. E como se não bastasse, lá está a Alfândega, que veem não como um lugar em que se regularizam perante a lei os seus pertences. Veem-nos como uma ameaça ao seu patrimônio.

Como receber um passageiro assim? - Ele me pergunta, como um professor que espera, de seu aplicado aluno, a resposta correta e a lição aprendida.


- Com um sorriso estampado no rosto e um "Boa noite!" - arrisquei.


- Isso mesmo, Joeldo. Precisamos cumprir a lei, claro. Já fazemos coisas ruins demais, pelo menos aos olhos do passageiro. Assim, não temos motivo nenhum para fazê-lo de cara fechada. Veja que, como fiscais, fazemos tudo ao contrário do que nossa mãe nos ensinou.

- Como assim? - continuo a cavucar Magalhães. - Coisas ruins, que nossa mãe não nos ensinou?


- Isso mesmo. Nossa mãe nos disse pra não falar com estranhos. Porém, isso é o que fazemos o tempo todo. Abordamos gente que nunca vimos, gente que sequer fala nossa língua. Mamãe nos diz para não mexer em coisas alheias. E somos obrigados, por lei, a virar e revirar bagagens, jóias, valores, o tempo todo. Ou fazemos isso ou não somos fiscais. Assim, prefiro fazer tudo de bom humor, transmitindo energias positivas para o passageiro. Desta forma, conseguiremos cumprir a lei, sem estresse, e sem contratempos maiores do que a lei exige que causemos.

Sábio Magalhães. Decidi, então, me armar. Até os dentes, literalmente. Sou sorridente, não sou sisudo. Um sorriso não nos compromete, não nos envolve emocionalmente. Mas ele pode trazer o passageiro para nossa causa. É um divisor de águas. Então decidi que nenhum passageiro iria passar por mim, sem ter recebido um sorriso, um cumprimento, uma indagação de como foi a viagem. E ver no que dá.

No começo foi estranho. Acho que mais para os passageiros, do que para mim. Alguns pensamentos que pude ler, diziam: "Será que está louco?" "Ih, acho que bebeu antes do plantão." "Sei não, esse fiscal está querendo alguma coisa."

Aos poucos, acostumei-me com essas reações, e contra-atacar. Claro, pois como o sorriso é uma arma, armas exigem posições específicas de ação, pois há o revide, o contra-ataque. Usado corretamente, o sorriso é mais ou menos como um raio paralisante - traz automaticamente para o seu lado quem recebê-lo.

Aos poucos, os passageiros foram respondendo. Sorriam também. Alguns poucos não sorriam, não esboçavam reação. Às vezes um muxoxo, um olhar cínico. Aquela energia ruim ameaçava me embotar. Virava o rosto, pensava em algo bom. Voltava-me e despedia-me do passageiro com o mesmo sorriso, que seguia em frente como se fosse mais um navio inimigo, que desistira de fazer guerra ali, dada a intensidade do fogo com que foi recebido.

Com isso, descobri mais um poder - o sorriso funciona também como um detector. Consegue identificar rapidamente gente mal-intencionada. Pessoas "do mal" não sorriem.

E tudo transcorria naturalmente. Apreensões, impostos pagos. Tudo na mais absoluta normalidade. E, desta vez, sem estresse.



Aproximava-se o final do plantão. Chegava o temível vôo da ZAP. É a prova de fogo, pensei. Qual nada. Consegui desarmar duzentos e dezesseis passageiros. Nove apreensões, dois pagamentos de impostos. E todos que saíam, nos agradeciam por termos feito nosso trabalho.

Ao final de mais um sol e uma lua de trabalho, Magalhães me cumprimenta. Disse que nunca havia trabalhado com alguém tão alegre, sorridente, festivo. Apenas me espelhei, pois, de fato, a alegria e animação que vêm dele, não me permitiriam mais distinguir, naquele momento, se ele estava saindo ou chegando no plantão. Magalhães nunca muda. Sempre armado até os dentes.

15 comentários :

Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...

Mari,
Um sorriso ou é verdadeiro e sincero, ou deixa de ser um sorriso, passando a ser apenas um muxoxo bonitinho.
Beijos e obrigado pelo comentário
Joeldo

Lygia disse...

Oi querido!
Sábio esse Magalhães, não?
O sorriso torna mesmo tudo muito mais fácil...
Não custa nada e rende muito.
Enriquece quem o recebe, sem empobrecer quem dá.
Dura somente um instante, mas seus efeitos perduram para sempre.
Ninguém é tão rico que dele não precise.
Ninguém é tão pobre que não possa dá-lo a todos.
Leva felicidade a todos e à toda parte.
É o símbolo da Amizade e da Boa Vontade.
É alento para os desanimados; repouso para os cansados; raio de sol para os tristes; ressurreição para os desesperados.
Não se compra, nem se empresta.
Nenhuma moeda do mundo pode pagar seu valor.
Não há ninguém que precise tanto de um sorriso, como aquele que não sabe mais sorrir.
SORRIR É UMA MANEIRA DE AMAR!
Acredito que todos conheçam essas palavras, mas muito poucos as põem em prática. Que bom que vc assim o faz. O sorriso faz a vida mais leve e atrai as melhores energias.

Beijos

aminhadocepink disse...

Adoreeeiii...me senti nesse plantão! Sabe que há alguns anos, precisamente 7, eu era assim como os passageiros. Uma estranha num gigantesco ninho de emoções diversas. Então conheci alguém pra lá de especial que me ensinou a mudar de caminhos, andar pelas ruas olhando nos olhos das pessoas e sorrir! Realmente desarma, desconserta qualquer um. Grande Magalhães e grande cientista que era o meu Anjo.
Aposto que, se não fosse um trabalho muito sério, você até cantaria algo para dar as boas vindas aos passageiros.(Tipo Barry Manilow cantando Copacabana). rsrs
Hoje, é assim que conquisto meus pacientes, com um sorriso vindo da alma e um amor incondicional, porque eles são as pessoas mais importantes no momento em que entram no consultório. Então, FANTÁSTICO POETA, sorria do fundo da alma porque talvez seu sorriso seja a cura para alguém que não sabe ou não quer sorrir. E você tem ARMA e BELEZA para isso!
E para você o meu enooorme :)))) e esse comentário enooormeeee...como eu...kkkkkkkkkk goooorrrrrr
beijos gooooorrrrrrrr
ironicamente ouvindo Barry Manilow
I can't smile!!! Nem pensar

joeldo disse...

Lygia,

Eu já sabia desses versos, mas quando decidi usar o sorriso, constatei que ele encerra muito mais poder que imaginamos.

Beijos meu Anjo
Joeldo

Lisete,

No próximo plantão cantarei Barry Manilow - Copacabana, Mandy, Ready to Take a Chance Again.
E Elton John, claro.

Beijão
Joeldo

fred disse...

Além de me deliciar com sua história, a visita é para dizer que tem um meme pra você lá no blog.
Abração

joeldo disse...

Fred,
Obrigado pela leitura.
Meme será imediatamente reproduzido, e replicado.
Abraços,
Joeldo

Katia Cristina disse...

Um sorriso transforma todo e qualquer ser humano, pois vem carregado se sentimentos que contagiam e fazem sermos felizes, mesmo que por dentro lágrimas sejam derramadas. E para nós trabalhos com o povo o sorriso deve ser o nosso diferencial.
como sempre seu texto está muito bom, mas isso nem é preciso dizer, você sabe disso.
Parabéns.

Beijos.

Katia Cristina

joeldo disse...

Obrigado, Katia,
Aqui é lugar de compartilharmos descobertas, ainda que estejamos descobrindo o óbvio, como o poder do sorriso.
Beijos

Márcia Moraes disse...

Oi Amor!

Que saudades estou desse sorriso!!!
Fiquei lendo e imaginando ele, que por tantas vezes foi o motivo do meu sorriso tb...E sorri junto com a leitura do texto, maravilhoso por sinal, como tudo o que vc faz.

Te amo BB

Bjus, Bjus, Bjus

joeldo disse...

Márcia, obrigado por ser essa pessoa simples e marvilhosa que é, tb te amo viu bb
Beijão

BLOG DA DESIRRÊ POESIAS disse...

MEU QUERIDO LINDO TEXTO, PARA MIM NÃO É NOVIDADE OS EFEITOS QUE UM SORRISO FAZ, POIS EM MINHA PROFISSÃO MEU PRINCIPAL ENFASE AO VER UM PACIENTE SEMPRE FOI DAR UM
SORRISO POIS É PARTE DA TERAPIA E UM BOM INICIO DE RELACIONAMENTO PROFISSIONAL X PACIENTE. E ONDE O PACIENTE SENTE QUE PODE CONFIAR NO PROFISSIONAL.E QDO ESTÁ HOSPITALIZADO NADA MELHOR QUE UM BOM DIA ASSOCIADO Á UM SORRISO FRANCO E SINCERO. UM SORRISO FAZ MTAS COISAS ABRE MTAS PORTAS E CONQUISTA MTAS PESSOAS.



O Teu Riso



Tira-me o pão, se quiseres,

tira-me o ar, mas não

me tires o teu riso.



Não me tires a rosa,

a lança que desfolhas,

a água que de súbito

brota da tua alegria,

a repentina onda

de prata que em ti nasce.



A minha luta é dura e regresso

com os olhos cansados

às vezes por ver

que a terra não muda,

mas ao entrar teu riso

sobe ao céu a procurar-me

e abre-me todas

as portas da vida.



Meu amor, nos momentos

mais escuros solta

o teu riso e se de súbito

vires que o meu sangue mancha

as pedras da rua,

ri, porque o teu riso

será para as minhas mãos

como uma espada fresca.



À beira do mar, no outono,

teu riso deve erguer

sua cascata de espuma,

e na primavera, amor,

quero teu riso como

a flor que esperava,

a flor azul, a rosa

da minha pátria sonora.



Ri-te da noite,

do dia, da lua,

ri-te das ruas

tortas da ilha,

ri-te deste grosseiro

rapaz que te ama,

mas quando abro

os olhos e os fecho,

quando meus passos vão,

quando voltam meus passos,

nega-me o pão, o ar,

a luz, a primavera,

mas nunca o teu riso,

porque então morreria.



Pablo Neruda

BEIJOS NO CORAÇÃO
TANIA ZOTTO

joeldo disse...

Tania,
Obrigado pelo comentário, e pela delícia que é ler Neruda.
Beijos

Angelica Amorim disse...

SORRIA!!!! Pois o sorriso é contagiante, vamos fazer uma epidemia!!!!!!
Não se preocupe com os obstáculos da vida, eles nos fazem crescer!!!
Você não é bom,você é genial!
Sinto orgulho de você.
beijajajajão
Gékila

joeldo disse...

Gékila,
Obrigado pela mensagem e pelo carinho,
Amo vc, beijão