quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Madrugada

[foto: madrugada na peninsula de Marau - BA]




Há um instante em que se suprimem

Todas as faculdades da alma,

Todo o gozo e o pensamento,

Toda a emoção e a metafísica,

Todo e qualquer som de prenúncio,

E toda a vida


E enquanto o universo se reconstrói

Naquele exato instante,


Um nada se desvela em diálogos infindos,

E as mentes, que não mais eram, se entretêm,

Absortas,


Num espaço de silêncio.




24 comentários :

Angelica Amorim disse...

papi
descrevo seu verdadeiro Eu nessa poema.
Te amamos ,com a mesma profundidade
desta obra prima.
Milhões de beijos
Gekila

Lygia disse...

Neste instante se suprimem todas as faculdades da minha alma.

Beijos

joeldo disse...

Lygia,
Que esse poema, após suprimir, devolva essas faculdades com força total.
Beijão
Joeldo

Lygia disse...

"Há pessoas que transformam o sol em uma pequena mancha amarela, porém há também as que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol." (Pablo Picasso)

Você faz parte desse grupo iluminado...

Beijos

Felino da Madrugada disse...

Há outros dias que não têm chegado ainda,
que estão fazendo-se
como o pão ou as cadeiras ou o produto
das farmácias ou das oficinas
- há fábricas de dias que virão -
existem artesãos da alma
(..)que levantam e pesam e preparam
certos dias amargos ou preciosos
que de repente chegam à porta
para premiar-nos
com uma laranja
ou assassinar-nos de imediato.(Pablo Neruda)
O trecho do poema do Pablo retrata um pouco de minha alma nesse ínicio de Madrugada(...)Num espaço de silêncio.
Um beijao em seu coração
Michel Amorim

Márcia Moraes disse...

Um nada se desvela em diálogos infindos,E as mentes, que não mais eram, se entretêm,Absortas,
Num espaço de silêncio.

Realmente...
Lindo...

Bjus

joeldo disse...

Olá, Marcia, obrigado por apreciar, creio que para cada pessoa, um entendimento novo surge a cada leitura.
Beijão.

Maria Helena disse...

Joeldo,
Lindo poema!

joeldo disse...

Maria Helena,
Obrigado pelo carinho e atenção.
Abraços
Joeldo

GREG disse...

Parabéns!
Quero convida-lo,para alguns dias de contemplamento em Itatiaia,Será muito bem-vindo.
Um abração
Greg

藍天 disse...

我的糖果愛,我的糖果人計數對愛我的世界

aminhadocepink disse...

Poeta Poetinha

Magnífico, admirável a forma como burla a mente de seus leitores.

Imagino o momento que foi escrito esse poema, algo assim depois de um extase indescritível, de algum momento que o tempo não apagará. Isso foi o que imaginei, apenas...rs

"E as mentes, que não mais eram, se entretêm,
Absortas,
Num espaço de silêncio."...

E entregues, nos braços da paz,
Cantam suas canções favoritas, igualzinho aos cantores (as).

beijo na alma mais apaixonada pela vida.
Li

joeldo disse...

Greg,

Obrigado pela leitura. Agradeço o convite e aguardo o momento oportuno para visitá-lo.

Abraços

藍天, 谢谢你的爱的单词, 你是谁吗

Lisete, o momento em si não existiu, mas a imagem do momento sim. beijos p/vc.

Katia Cristina disse...

Olá meu querido,
lindo poema,a madrugada é meu momento preferido do dia, pois é nele que podemos no silêncio ouvir nosso coração e talvez até o de quem se ama.
Beijos com carinho.
Katia Cristina

Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
fred disse...

Belíssimo poema, Joeldo.
Grande abraço.

LAU SIQUEIRA disse...

Estive por aqui bebendo suas palavras, Joeldo. Pois é... lamento por Jeanete, mas não sei se eram parentes. Bem provável!
Abração!

joeldo disse...

Katia,
Obrigado pela leitura e pelo carinho.
Beijos

Fred,

Obrigado pela sua poesia, sempre referência nesta e outras tentativas minhas de fazê-la.

Abraços

Lau,

Agradeço a sua presença por aqui. Sempre lamento muito quanto um pedaço da nosa poesia se esvai. Abraços

Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...

Mari,

Obrigado pelo carinho, apoio, incentivo enfim. É tudo que me move a escrever.

Beijos
Joeldo

soledade disse...

Joeldo, tinha saudades desta sua poesia luminosa, quase hierática. É muito bom voltar a lê-lo!
Um beijo

joeldo disse...

Soledade,

Acho que de hierática, minha poesia tem o aspecto levemente hermético, e caleidoscópico que tento imprimir aos textos.

Saudades dessa sua visão viva, aguçada. De sua poesia [e da Eugénia], então, nem se fala. Mencionei-a num poema recente, que está por aí.

Beijos e Boas Festas
Joeldo

Olá, seja bem vindo ao nosso espaço de diálogo... disse...

E como é bom o silêncio interior....é por meio dele que conseguimos ver e ouvir o invísivel e o inaudível....rsrsrsr

Meu anjo,seus textos (narrativas, poemas,....não importa muito bem o gênero) são simplesmente maravilhosos, encantam qualquer leitor, seja o mais ou menos experiente....

BJKS MIl