domingo, 23 de novembro de 2008

Entendendo as Mulheres - ou não

Começo de mais um novo plantão. Chegando ao aeroporto, sinto um clima de emoção, de despedida, de nostalgia. Os abraços, as partidas e as chegadas fazem-me sentir que, na minha fria missão, existe um toque de emoção. E lidar com o emocional das pessoas é dificílimo. Quando se trata de mulheres, então, é quase impossível.

Lido com mulheres de toda sorte. Passageiras, fiscais, amigas. Todas muito queridas. Todas, de uma forma ou de outra, encharcadas de paixão. A mulher é um ser que encerra muita emoção, muita vida. É a missão delas. Homens que somos, nossa missão é amá-las. Eu tento um pouco mais que isso. Tento entendê-las. Se vou bem na minha missão, aí já é uma outra história.

Já fui marido, namorado e amigo de várias mulheres que passaram (e muitas que permaneceram) na minha vida. Também sou pai de uma menina-mulher (agora são duas). Todas elas me deixaram e me deixam algo de si, e me ajudaram a formar a experiência que tenho, parte do homem que sou. E toda essa bagagem me ajudou a entender alguns aspectos da alma feminina.

Por que as mulheres se apaixonam? O que as faz amar e desamar com tanta facilidade? Qual o porquê da paixão e, por vezes, da obsessão por alguém que não as ama? Por que confundem tanto, paixão com satisfação, amor com poder? São perguntas que me martelarão por todo o sempre. Mas a respeito dessas e de outras questões, não posso mais que elaborar teorias, como a que se segue.

Minha experiência de homem, essa me ajudou a entender que cada mulher é (ou são), na verdade duas. Pois bem. Vamos chamá-las de Cléo e Maria Helena.

A Cléo é a personalidade escondida por baixo da alma (pra não dizer, da saia) de todas as mulheres. É ela quem instiga e provoca comportamentos obscenos, lascivos. Ela é bem objetiva - Sabe exatamente o que quer e o que a satisfaz. Ela busca músculos, prazer, poder, satisfação de um desejo líquido. Desejo que ela imprime na alma de sua dona, Maria Helena. Cléo não se importa com os safanões que leva de Maria Helena. Ela é corpo e volúpia, e até mesmo ser repreendida a instiga a desejar mais e mais.

Já sua dona, Maria Helena, essa é pura razão e comedimento. Ela tenta, a todo custo, controlar e impor-se à frente dos desejos de Cléo. Não que Maria Helena não tenha desejos. Ela os têm sim, mas são de outra ordem. Maria Helena deseja completude, quer a complementaridade entre o racional e o emocional. Enquanto Cléo quer dizer sim, o que ouvimos de uma mulher, na verdade, é sempre o não de Maria Helena. Ela está sempre pondo à prova os sentimentos dos seus parceiros. Enquanto Cléo quer satisfação imediata, Maria Helena quer estabilidade, quer as emoções sob controle a longo prazo. Para isso, tenta a todo custo apaziguar Cléo.

Como não poderia deixar de ser, Maria Helena e Cléo têm amantes distintos. Enquanto a primeira ama Júlio César, a segunda ama Marco Antônio. Eles são, como elas, complementares. Enquanto Júlio César é razão, imposição e poder, Marco Antônio é força e virilidade. Júlio César não é como Teodoro, marido pacato de Dona Flor no romance de Jorge Amado. Ele domina justamente pela lógica, pela completude, não é passivo. Já Marco Antônio domina pelo prazer. Ele é impulsivo, não refrea seu ímpeto de homem. Mais ou menos como Vadinho, o marido-fantasma de Flor.

Como reza essa teoria (que na verdade não é minha, recebi ajuda de uma autora maravihosa, para compilá-la) homens e mulheres, não somos muito diferentes. O que acontece às vezes, é que não conseguimos ser dois, como elas são duas. Daí Dona Flor e seus dois Maridos, entre outros casos de infidelidade menos divulgados. Cabe-nos aprender a amá-las, Marias Helenas e Cléos, completá-las e, à luz dessas revelações, entender-lhes todos os poréns, nãos e senões.

28 comentários :

Lygia disse...

Às vezes, por força das circunstâncias a Cléo fica bem escondidinha.... rsrsrsrs Mas meu querido, não tente entender as mulheres... Apenas ame-as e aceite o seu amor.... Simples assim... Do jeitinho que você faz...

Beijos...

Angel_amim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lygia disse...

Ah! Só não se esqueça que nada, mas nada mesmo, afeta mais uma mulher do que a relação com seus filhos. Quer agradá-la, agrade-os, quer magoá-la profundamente ignore-os, quer ser execrado por ela, magoe-os. Aí aparece uma terceira mulher. Vê como é melhor nem tentar?

beijos meu querido

Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mari Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lygia disse...

Ou mata!!!!!!kkkkkkkkkkk

BLOG DA TANIA POESIAS disse...

LINDO ANJO NUNCA TENTE ENTENDER UMA MULHER, APENAS AME-AS E LEMBRE-SE QUE TUDO COMEÇOU ATRAVÉS DELAS VC ESTÁ AI PORQUE UMA MULHER O GEROU E LHE CRIOU, E LHE DEU SEUS PRINCIPIOS, A MULHER É UMA INCOGNITA QUE NÃO FOI FEITA DA COSTELA DO HOMEM PARA SER ENTENDIDA MAS SIM PARA SER UM SER APERFEIÇOADO APÓS A RIAÇÃO DO HOMEM, QUANDO DEUS CRIOU A MULHER ELE QUERIA UM SER NOBRE E DIGNIFICANTE PARA ENCANTAR OS SEUS PROPRIOS OLHOS E TODOS OS SEUS SEMELHANTES, POR ISTO ÁS VEZES DIZEMOS QUE DEUS NÃO TEM SEXO PARA TER CRIADO ESSA MARAVILHA E INCOGNITA QUE DEIXA OS HOMENS DESVAIRADOS E OS FAZEM ATÉ COMETER LOUCURAS E INSANIDADES. SOMOS UM SEGREDO DA CRIAÇÃO DIVINA NUNCA TENTE NOS ENTENDER, APENAS NOS ACEITE E NOS AME, POIS ESTÁ É A PRINCIPAL FUNÇÃO DO HOMEM NA TERRA AMAR E SE DEIXAR SER AMADO SEM QUESTIONAR O X DA QUESTÃO. UM DOCE AMIGO MEU ME POSTOU UM POEMA QUE CREIO TENTOU MAS NÃO CONSEGUIU, MAS VALEU. AI VAI MENINAS PARA NOSSO DELEITE.

A Mulher e a Lua

Mulher que espalha alegria,

no sentimento sua própria luz,

muitas vezes comparada a Lua,

com pudor e muita simpatia,

aflora-se nua ao mundo,

você mulher nem poderia,

em suas perfeitas proporções,

não importa como se apresente,

o seu vagar é como sinfonia,

as mais belas letras inspiradas,

faz valer suas afeições,

que não é apenas um corpo,

de forma celeste ou carnal,

mostra o seu devido valor,

como a luz que radiante brilha,

no sentimento as várias emoções,

e da inspiração a perfeição,

encantando os mais diversos corações,

onde quer que seja avistada,

será sempre motivo de alegria,

chamando a atenção ao se mostrar,

aqui na terra, tu és a Mulher,

mesmo quieta lá em cima, você é a Lua.
Celso Ant. Dembiski

ESTE É PARA TODAS NOS MULHERES QUE SEMPRE POSTAMOS COMENTÁRIOS NO BLOG DO NOSSO LINDO ANJO, AFINAL SEMPRE MERECEMOS SER HOMENAGEADAS
A TODOS OS DIAS E TODAS AS HORAS POIS OS HOMENS EXISTEM PORQUE LHES DAMOS A CHANCE DE CONQUISTAREM A NOSSA CLEO.
BEIJOS CARINHOSOS Á TODOS

Lygia disse...

Lindo Tania! Obrigada...
Beijo

Lygia

Lila disse...

Amarrada e amordaçada,
jogada num canto qualquer,
Cléo foi esquecida...
Maria Helena se arruma para sair.
Na frente do espelho avalia a roupa sóbria que escolheu.
Cabelos presos num coque, maquiagem discreta. Óculos.
Está tudo dentro da normalidade.
No trânsito, suas pernas vão e vêm, sobem e descem. Intercalam a frenagem e a aceleração com a delicadeza que lhe é peculiar.
O tempo é curto mas a distância é pequena - vai dar tudo certo.
Cléo não existe mais. Maria Helena não a permite mais.
Sinal vermelho, ela pára graciosamente.
Olha no retrovisor interno para conferir os fios de cabelo que insistem em lhe escorregar pela face. Observa a si mesma. Não há tempo para outras preocupações agora, ela pensa. É preciso seguir. Mas alguma coisa a prende ao espelho.
É o seu olhar.
Seu coração dispara e Cléo lhe salta garganta afora, num grito mudo de desejo realizado, completamente fora do seu controle. Lá está ela.
Elas conversam entre si? É possível. Se entendem? Não sei, mas acredito que no mínimo um acordo de damas precisa existir. Se coexistem, ocupam o mesmo espaço, algumas regras são naturais.
Cléo é o id, a parte corajosa de Maria Helena.
Abre-se o sinal.
Quem acelera já não é mais Maria Helena.
Cléo assume a direção. Ajeita novamente os espelhos, solta os cabelos, joga os óculos no banco.
Levanta a saia, Maria Helena é séria demais. Atrás do banco estão seus sapatos preferidos. Joga os que Maria Helena escolheu pela janela e calça outros mais elegantes.
Maria Helena é cafona demais.
Abre mais um botão da blusa, deixando entrever seu colo alvo coroado por uma corrente que brilha à luz da lua.
Muda a maquiagem, o batom agora é vermelho. Seus olhos brilham e sua boca tem um meio sorriso de joça.
A noite promete e ela segue avenida afora. Vai dançar, rodopiar entre a nuvem de fumaça e cor.
Os planos de Maria Helena foram sabotados. Cléo tem outros mais eficientes, mais modernos e funcionais.
Cléo quebra todos os padrões de comportamento que Maria Helena criou para ambas. Sente-se bonita e amada. Mulher realizada.
Maria Helena agora, não é paradígma confiável.
É a vida delas. Elas são assim. Se revezam no cotidiano. Onde uma está, não há lugar para a outra.
Não importa o preço que Maria Helena tenha que pagar pelas atitudes de Cléo.
Agora, quem adormece esquecida é ela.


Lila

joeldo disse...

Lila,
Primoroso o seu texto,
E obrigado por ter me ajudado a entender um pouco mais, Maria Helena e Cléo.
Beijos
Joeldo

Angelica Amorim disse...

Ah! papi
já rasguei a cartinha de pedidos para o bom velhinho,que presente generoso,o texto é delicioso,como vc descreve a alma humana,e suas buscas,embora personagens do cotidiano,é divertido vê-las atuando,me faz refletir sobre posturas principalmente a do equilibrio.A Cléo que se cuide,pois Maria Helena não é fraca ,não.kkkk
Parabéns! quisera um dia, agradecer da forma que mereces
Angélica Amorim

Felino da Madrugada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...

Minha menina-mulher,
Seu carinho é o melhor "muito obrigado" que um pai pode ouvir e sentir.
Grande beijo
Joeldo

joeldo disse...

Estendo o carinho e agradecimento ao menino Michel, um grande abraço filhão.

Felino da Madrugada disse...

Obrigado Papito
Engraçado fui excluido novamente?
O Cléo não faça isso não.
O texto. é maravilhoso
Obrigado pela homenagem e carinho
beijão Paizão!!!!
Michel Amorym

joeldo disse...

É filhão as Ermelindas não dão trégua.
Forte abraço
Joeldo

Felino da Madrugada disse...

Pois é Papito
mas o q gostaria de comentar,
conheço uma mulher maravilhosa,
tenho certeza ,quando ama e uma Cléo,e quando cuida sem dúvida é Mari..a Helena KKK
toma que eu nao seja excluido, mas sou resistente e defensor de um grande amor...
Um beijão paizão
Michel Amorym

Fabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joeldo disse...

Fabi,

Teorias são simplificações da realidade. São modelos simples, e nem por isso deixam de ser úteis na explicação de alguns fenômenos da natureza.

Há muito mais variáveis entre o céu e a Terra que podem supor nossas vâs equações. Nunca foi, e nunca será o objetivo reproduzir o Todo.

Complexa como a realidade, só ela própria.

A realidade do universo feminino, essa então, nem se fala.

Arriscado mesmo é fazer como os apedeutas - Ignorar a realidade, por julgá-la demasiadamente complexa ou indecifrável, e assim deixar de tentar buscar, descobrir. Deixar-se, enfim, sucumbir à fúria do desconhecido.

Beijos
Joeldo

AL-Chaer disse...

Grande Joeldo !!!

Que prazer ler seus textos aqui!

Grande AL-Braço
AL-Chaer

pêésse: quanto à entender as mulheres...lembrei-me da piada do gênio...é mais fácil a PAZ no oriente médio...he he he

joeldo disse...

Al-Chaer !!!
Será sonho, ou é você???
O Obama já conseguimos, quem sabe a Paz reinará no próximo capítulo?
Nunca perca as esperanças !
Entender as mulheres é fichinha, o importante é derrubar o Bush !
AL-Braços !!!
Joeldo

BLOG DA TANIA POESIAS disse...

ALMA FEMININA

LEVE E BREJEIRA
SUAVE E MENINA
SEDUÇÃO E PRAZER
VORAZ FELINA,
TANTAS E TODAS ALMAS FEMININAS.

TANIA ZOTTO

Mulher disse...

Mulheres de verdade são as mais simples possíveis,
se aceitam como mulheres e basta. Se amam de verdade.

Felino da Madrugada disse...

Olá paizão
A insensatez do cotidiano

"Como ser estar contente? Lançar os olhos em volta, moderado e complacente, e tratar com toda a gente sem tristeza nem revolta? Sentir-se uma pessoa feliz, satisfeita com o que sente, com o que pensa e com o que diz? Como ser estar contente?"
beijos filhao
Michel Amorim

aminhadocepink disse...

"Por que as mulheres se apaixonam? O que as faz amar e desamar com tanta facilidade? Qual o porquê da paixão e, por vezes, da obsessão por alguém que não as ama? "

- Não sei se seria obsessão? Talvez seja um amor vivido em outras vidas, que veio com a missão de ser castigado por não ter sido vivido (em outras vidas) na plenitude. Ter feito traições, omissões e tudo mais, talvez as mulhere se apaixonam com mais facilidade, por trazer na alma, a sutilidade de simplesmente amar e falar, com o que se denomina em relação ao amor, o CORAÇÃO.

Acho que me identifiquei um pouco nesse parágrafo.

joeldo disse...

Obrigado, Lisete, por também acompanhar o blog, beijos